Funções da fotografia pericial

  • Instruir laudos periciais e necroscópicos;

  • Auxiliar o perito para que este possa evitar descrições textuais longas e complexas;

  • Registrar cenas de crime, imediatamente após o ocorrido, ou assim que a autoridade policial tenha ciência do fato;

  • Demonstrar a preservação e isolamento do local do crime, ou mesmo a ausência destes;

  • Substituir uma evidência, no caso de impressões digitais ou marcas de mordida, cujas fotografias servirão de base para as devidas comparações;

  • Fazer com que os usufruidores do laudo pericial tenham conhecimento de algo de que no laudo esteja descrito com termos técnicos demais para leigos em determinados assuntos;

  • Perpetuar a cena do crime, servindo de objeto de análise mais detalhada posteriormente se houverem dúvidas por parte do perito criminal;

  • Permitir que o ministério público, advogados, assistentes técnicos e peritos judiciais visualizem com mais clareza o cenário do sinistro;

  • Influenciar o júri no sentido de causar impacto emocional;

  • Permitir que o magistrado tenha uma visão mais clara do ocorrido, antes de proferir a sentença;

  • Ilustrar trabalhos acadêmicos, assim como aulas, congressos, palestras de medicina legal, fotografia pericial, direito, perícias em geral;

  • Servir como um documento histórico.